Dom José Luís Azcona Hermoso, bispo do Marajó, voltou a falar nesta segunda-feira sobre as denúncias de exploração sexual de mulheres e crianças na região. O religioso está sendo ameaçado de morte por divulgar informações sobre esse tipo de crime. Segundo ele, crianças estão se prostituindo em troca de comida. E, algumas vezes, são levadas pelos próprios pais aos locais de prostituição.

O bispo disse ainda que adolescentes e mulheres da ilha participam de uma rede de tráfico internacional de pessoas, que são levadas para se prostituir na Europa. Dom Luís Azcona, um dos três bispos ameaçados de morte na região, fez também um apelo para que a polícia identifique quem são os responsáveis pelas ameaças.

Também estão sendo ameaçados de mortes os bispos do Xingu, dom Erwin Krautler, presidente do Conselho Indigenista Missionário (Cimi), e dom Flávio Giovenale, bispo de Abaetetuba.

Na semana passada, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) denunciou à Anistia Internacional as ameaças de morte aos religiosos. Os três estão na linha de frente da luta pelos direitos humanos e, mais de uma vez, já anunciaram que não pretendem arredar um milímetro sequer de sua atuação pastoral

O caso com maior destaque é o de dom Erwin Kräutler, que anda há anos com proteção policial. Ele se destaca na luta pelos direitos indígenas e contra os grileiros de terra que agem no sudeste do Pará, principalmente no município de Altamira, onde reside. O religioso está incluído no Programa Estadual de Proteção dos Defensores dos Direitos Humanos. Mas, segundo a CNBB, a escolta oferecida tem sido insuficiente.

A Secretaria de Segurança Pública do Pará diz, no entanto, que o programa é suficiente para garantir a segurança dos religiosos.

Fonte: O Globo Online

One thought on “Ameaçado de morte, bispo do Marajó denuncia exploração sexual infantil e tráfico de pessoas”

  1. eu concordo plena mente que essse programa de proteção aos religiosos não é o suficiente para proteje osbispos quando estão lutando pelos direitos socias da umanidade
    atenciosamente:

    mayke de souza ribeiro
    melgaço-para

    em:03/05/2008

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.