A formação policial entre as polícias de Portugal e do Brasil vai ser reforçada graças a uma declaração de cooperação assinada nesta segunda-feira entre os Ministérios da Administração Interna português e o da Justiça brasileiro.

A declaração, assinada pelos ministros da Administração Interna português, Rui Pereira, e o da Justiça brasileira, Tarso Genro, estabelece uma cooperação técnica entre os centros de investigação do Instituto Superior de Ciências Policiais e Segurança Interna de Portugal e a Academia Nacional de Polícia Federal, a Escola Superior de Polícia Federal do Brasil.

De acordo com o documento, a cooperação contempla a disponibilidade de bolsas de estudo, apoio recíproco para formação e capacitação de professores e alunos, transferência de tecnologia e avaliação de resultados e publicações conjuntas.

Esta colaboração tem por objetivo alcançar “uma maior qualificação de profissionais de polícia e segurança pública nos dois países”, segundo a declaração, que estabelece ainda a realização, no primeiro semestre deste ano, de uma reunião entre os responsáveis dos estabelecimentos de ensino superior para a elaboração de um plano operacional de cooperação técnica.

Os dois países assinaram o documento tendo em conta a “importância de que se reveste a formação policial nos domínios da prevenção e combate ao crime organizado transnacional” e a experiência de Portugal no âmbito da União Européia e do Brasil no seio do Mercosul, além de ambos pertencerem à Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

O ministro brasileiro Tarso Genro visita desde quarta-feira Portugal, com o objetivo de debater a ampliação das parcerias jurídicas entre os dois países, que já mantêm parcerias no que respeita à extradição e transferência de presos.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.