As 103 crianças que a ONG francesa “Arca de Zoé” tentou levar para França, em Outubro do ano passado começaram neste mês, a ser entregues às suas famílias, numa operação conjunta entre as autoridades do Chade e a Unicef.

Segundo avança a agência de notícias AFP, as crianças que se mantiveram até hoje no orfanato de Abeche, no leste do país, onde residiam antes de serem levadas por seis membros da Arca de Zoé, no passado dia 25 de Outubro, começaram a ser entregues oficialmente aos seus famiíares.

Cinco crianças originárias do Sudão e uma ainda não identificada serão temporariamente confiadas ao Comité Internacional da Cruz Vermelha (CICR). “A Unicef responsabiliza-se pelo acompanhamento a essas crianças no seio das respectivas famílias”, declarou durante uma cerimônia realizada no orfanato de Abeche a representante no Chade do Fundo das Nações Unidas para a Infância, pedindo a outros parceiros que também apoiem as crianças.

No julgamento dos seis membros da Arca de Zoé acusados do rapto das crianças, os pais culparam a organização de terem prometido escolarizar e cuidar dos seus filhos no leste do Chade, quando na realidade a intenção era levar as crianças para França, onde as esperariam famílias de acolhimento.

Os seis membros da associação, condenados no dia 26 de Dezembro por tentativa de rapto, foram sentenciados a uma pena de oito anos de prisão na França, para onde foram transferidos após o fim do julgamento. Foram igualmente condenadas a pagar às famílias um total de 6,3 milhões de euros de indenizações.

Fonte: Correio da Manhã

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.