Depois do tráfico de drogas e de armas, a fonte mais rentável do crime organizado é a exploração sexual de crianças e mulheres. Para romper com essa prática, a Presidência da República, por meio da Secretaria Especial de Direitos Humanos, criou o PAIR, o Programa de Ações Integradas e Referenciais de enfrentamento à violência sexual infanto-juvenil no país. Esse projeto é desenvolvido no Maranhão desde fevereiro de 2007 pela UFMA, em parceria com outros órgãos federais, estaduais e municipais.

A professora do Departamento de Psicologia, Rosângela Guimarães Rosa, coordenadora do PAIR no estado, explica que as ações de combate à exploração sexual de menores se concentram em sete municípios: Caxias, Timon, Imperatriz, Açailândia, São José de Ribamar, Paço do Lumiar e Raposa. “Esse programa permite que a Universidade participe das políticas públicas e sociais do estado e proporcionou uma vivência fantástica aos nossos bolsistas. É a UFMA a serviço da sociedade”, comenta ela.

“Descobrimos onde fica cada casa de prostituição desses municípios. Usamos GPS e computadores para fotografarmos cada uma dessas casas clandestinas”, explicou. Os resultados de meses de trabalho serão conhecidos durante os seminários para a construção do plano operativo local.

Na primeira etapa acontecem quatro reuniões: em Caxias, entre os dias 1º e 2 de abril; em Timon, nos dias 3 e 4 de abril; em Imperatriz, nos dias 13 e 14 de maio e em Açailândia, nos dias 15 e 16 de maio. No dia 25 de junho será realizado um seminário estadual, na capital maranhense.

De acordo com a professora Rosângela, as ações do PAIR no estado contaram com o apoio da Polícia Militar, Polícia Rodoviária Federal, igreja, guarda municipal, secretarias de assistência social, entre outros parceiros. “Somente uma articulação conjunta permite que se elabore um plano que estabelecerá as ações prioritárias dos municípios no enfrentamento da violência sexual”, disse.

Fonte: ASCOM – UFMA

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.