Comitê Regional contra o Tráfico de Pessoas no México

A partir de fevereiro deste ano, a Comissão Nacional dos Direitos Humanos (CNDH) do México coordenará na Cidade Juárez a instalação de um comitê regional contra o Tráfico de Pessoas.

O comitê de Juárez será um dos 10 que em nível nacional que paralelamente se integrarão para concentrar informação que permita implementar ações conjuntas para fortalecer o marco legal, social e institucional, informou a CNDH em um comunicado de imprensa.

A integração e o funcionamento dos comitês permitirá intercambiar e concentrar informação de maneira ágil e oportuna, assim como implementar ações conjuntas para o fortalecimento do marco legal na matéria, à salvaguarda dos grupos mais vulneráveis e à reinserção social das vítimas.

Os comitês regionais que serão instalados, darão cobertura nacional e terão suas sedes nas cidades de Tijuana, Baixa Califórnia; Cidade Juárez, Chihuahua; Nogueiras, Sonora; Reynosa, Tamaulipas; Aguascalientes, Coatzacoalcos, Vera cruz; Villahermosa, Tabasco; Tapachula e San Cristóbal de las Casas em Chiapas.

De acordo com a informação divulgada, a coordenação de esforços por meio dos comitês, faz parte do recentemente criado Programa contra o Tráfico de Pessoas, mediante o qual a CNDH procura desde a perspectiva de proteção e salvaguarda dos direitos humanos, atender de maneira integral este fenômeno em suas vertentes jurídica, institucional e social.

A CNDH espera que uma vez que se sancione a Lei para Prevenir e Sancionar o Tráfico de Pessoas, se avance na homogeneização dos marcos legais federais e estatais, e se consolide uma perspectiva multilateral que permita também uma coordenação internacional contra esse fenômeno.

No ano passado o Instituto Nacional de Migração (Inami) que também está integrando grupos interinstitucionais contra o Tráfico de Pessoas, detectou e atendeu vítimas deste delito procedentes de outros países, indicou então a comissionada do Inami, Cecilia Romero.

No entanto a funcionária indicou que esta atividade se apresenta com características similares em toda a fronteira norte do país onde operam geralmente redes organizadas as quais se pretende combater através dos grupos interinstitucionais que se estão formando em cada estado do país.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *