O delegado-titular da 73ª DP (Neves), Leonilson Ribeiro, disse, no início da tarde desta quinta-feira, que trabalha com duas hipóteses para o seqüestro da menina Isabela, de apenas 20 dias, levada na noite desta quarta-feira, em Itaboraí, por quatro pessoas que se apresentaram como funcionários de uma agência de talentos: tráfico de crianças ou de órgãos. Pelo menos dois integrantes da quadrilha já teriam sido identificados.

A mãe da criança, Luciana Cristina Rodrigues Leal Vargas, de 25 anos, contou aos policiais responsáveis pela investigação que, na noite desta quarta-feira, as quatro pessoas se apresentaram como funcionários de uma agência de talentos – na qual ela havia estado na terça-feira à procura de trabalho para sua filha de 2 anos – passou para buscá-la e à criança em casa, também em Neves, num Siena.

Os desconhecidos contaram que haveria uma gravação para um programa de televisão num sítio em Itaboraí e precisavam não da menina de 2 anos, mas do bebê. Luciana pegou Isabela e entrou no carro. No caminho, na Estrada do Pacheco, porém, o grupo parou o automóvel, agrediu Luciana, amarrou-a e jogou-a num encosta, levando a menina. A mãe conseguiu soltar-se e ligou de um orelhão para parentes.

Fonte: O Globo

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.