Três brasileiros estão entre os dez detidos na operação contra uma rede responsável pela exploração sexual de mais de 300 mulheres em Badajoz, província espanhola na fronteira com Portugal, segundo a polícia da Espanha.

Uma fonte policial explicou à Agência Lusa que os detidos – quatro espanhóis, dois colombianos e um português, além dos brasileiros – estavam envolvidos na lavagem do dinheiro procedente da prostituição a que mulheres eram forçadas em bordéis de Badajoz.

A operação foi realizada na madrugada do dia 26 de março ao dia 27, com buscas em vários bares. As investigações começaram, segundo o Ministério do Interior espanhol, depois de ter sido detectada uma entidade empresarial que usava várias contas para receber dinheiro, cuja origem foi comprovada como sendo a prostituição.

Estimativas policiais apontam que, só no último ano, o grupo obteve receitas calculadas em mais de um milhão de euros. O chefe da quadrilha era um espanhol proprietário de três bordéis.

Um cidadão português, de 34 anos, é suspeito de crimes relacionados com a prostituição, contra os direitos dos trabalhadores e dos cidadãos estrangeiros, além de vários delitos contra a saúde pública.

Fonte: Agência Lusa

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.