Todos os dias morrem 12 pacientes na UE enquanto aguardam o transplante de um dador compatível, pelo que diminuir as listas de espera significa aumentar as suas hipóteses de sobrevivência. No dia 16 de Março, a comissão parlamentar do Ambiente, Saúde Pública e Segurança Alimentar aprovou as normas de qualidade e segurança dos órgãos humanos destinados a transplantação, tendo por objectivo garantir que os transplantes se processam de forma mais fácil, rápida e segura.

Existem quase 6.000 pacientes em lista de espera na União Europeia e, apesar de 81% dos europeus apoiarem o cartão de dador, apenas 12% o possuem.

Tentar encontrar dadores e receptores compatíveis de forma individual em cada Estado-Membro da União Europeia limita muito as possibilidades existentes, além de poder dar origem a fenómenos como o tráfico de órgãos.

As normas aprovadas têm por objectivos criar uma área de transplantes europeia, através de sistemas harmonizados de certificação de qualidade e uma melhor cooperação entre os países.

Garantir a qualidade e segurança dos órgãos

“O objectivo é dispor de mais órgãos para os pacientes”, explicou o eurodeputado eslovaco Miroslav Mikolášik (Grupo do Partido Popular Europeu) e autor do relatório parlamentar sobre a matéria, o que “implica uma maior cooperação entre os Estados-Membros”.

Tráfico de órgãos

Para combater o tráfico de órgãos, devem ser evitadas todas as compensações financeiras por doação de órgãos, com excepção dos custos associados aos dadores vivos, que em princípio só devem poder doar a familiares próximos e apenas como último recurso, nos casos em que não seja possível encontrar o órgão necessário.

Fonte: http://www.europarl.europa.eu/news/public/story_page/066-70539-067-03-11-911-20100312STO70510-2010-08-03-2010/default_pt.htm

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.