A violência sexual contra crianças e adolescentes é um problema mundial. O crime se alimenta do silêncio das vítimas e da conivência da sociedade. Por ser reproduzida de forma clandestina e acompanhada pelo tabu, a violência contra o público infanto-juvenil ainda é pouco discutida e difícil de ser monitorada.

Para combater o problema, a Promotoria de Justiça da Infância e Juventude de Santa Inês lançou a campanha “Exploração Sexual Infantil dá Pena”, em parceria com a Prefeitura Municipal e o Governo Estadual. Mas esta não é a primeira campanha adotada pelo MPMA na comarca. Desde 2002, a promotoria vem divulgando a temática pela campanha “Não dê carona à prostituição infantil”, reeditada até o ano passado.

A mobilização faz parte da estratégia do Ministério Público para levantar o debate em torno do abuso e da exploração sexual no município. As atividades em torno do 18 de maio, Dia Nacional de Combate à Exploração e Abuso Sexual de Crianças, foram iniciadas no dia 12, segunda-feira, e se estendem até esta sexta-feira, dia 16, com um ato público percorrendo as ruas da cidade.

A programação semanal incluiu, ainda, um seminário que culminou com a aprovação da minuta do Plano Municipal de Enfrentamento da Violência Sexual de Santa Inês. Antes de ser adotado, o plano deve passar pela análise do Conselho Municipal dos Direitos da Criança (CMDCA) e, em seguida, será encaminhado para análise do executivo municipal.

De acordo com a promotora de justiça Núbia Zeile Pinheiro Gomes, o MPMA, por intermédio da Promotoria de Justiça da Infância e Juventude de Santa Inês, desenvolve atividades contínuas de combate à violência desde 2002. Entre as ações estão a realização de debates junto à comunidade, visitas às escolas, blitzen nos pontos de exploração sexual e palestras informativas.

Fonte: Imirante.com

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.