Renomada por seu papel na premiada série de televisão “Arquivo-X”, a atriz apresentou na a produção ‘Sold’, que conta a história da jornada de uma menina nepalesa de 13 anos de idade pela escravidão sexual e, depois, para a emancipação. Identificadas em mais de 120 países, 49% das vítimas são mulheres e 33%, crianças.

Após tomar conhecimento do problema, Gillian Anderson acrescentou que a luta contra o tráfico sexual de mulheres jovens e meninas agora se tornou sua causa número um. Foto: ONU
Após tomar conhecimento do problema, Gillian Anderson acrescentou que a luta contra o tráfico sexual de mulheres jovens e meninas agora se tornou sua causa número um. Foto: ONU

“Os filmes podem mudar o mundo”, disse a atriz Gillian Anderson em uma entrevista recente nas Nações Unidas sobre o filme ‘Sold’, a história da jornada de uma menina nepalesa de 13 anos de idade pela escravidão sexual e, depois, para a emancipação.

Anderson – renomada por seu papel na premiada série de televisão “Arquivo-X” – disse que o projeto é um exemplo brilhante de como os filmes podem ter um real impacto na sociedade.

“Quando eu comecei a trabalhar nele eu não tinha ideia da real situação do problema, uma questão global, a quantidade de crianças que são traficadas, a quantidade de seres humanos que são traficados para escravidão. Eu era completamente ingênua sobre isso e também fiquei chocada com o grau da minha ingenuidade, como alguém que é bastante ativa em várias organizações e instituições de caridade, como tenho sido por muitos anos”, disse a atriz à Rádio ONU.

Ela acrescentou que a luta contra o tráfico sexual de mulheres jovens e meninas agora se tornou sua causa número um.

“A mensagem é maior do que o próprio filme”, destacou Anderson. “Envolver-se com a campanha em torno do filme e ver o impacto que o tipo certo de campanha pode ter em um movimento, em uma conversa mais ampla e em um grau de ativismo é realmente notável e bastante original, muito inspirador.”

Segundo a ONU, o problema do tráfico humano atinge vítimas nacionais de 152 países localizadas em 124 países. No entanto, o Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) alerta que os dados são fornecidos pelos países e consideram apenas os casos identificados, representando portanto apenas a ponta do iceberg. Existem pelo menos 510 fluxos de tráfico humano pelo mundo; segundo os últimos dados disponíveis, 49% das vítimas identificadas são mulheres, e outras 33% crianças.

Fonte: https://nacoesunidas.org/na-onu-atriz-de-arquivo-x-apresenta-filme-sobre-trafico-de-seres-humanos/

Veja abaixo o Documentário Sold:

 

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.