A Missão das Nações Unidas na Serra Leoa juntou-se à Polícia Serraleonesa (SLP) para combater as agressões e a exploração sexuais, a violência doméstica, as agressões físicas e outras perpetradas contra as crianças no seio da sociedade.

De acordo com o inspetor Ibrahim M.F.Samurah, diretor do serviço de Imprensa da Polícia, mais de 200 membros do pessoal, homens e mulheres, estão atualmente formados neste sentido no quadro de uma oficina de três dias organizado em Freetown, a capital.

Segundo ele, esta formação visa reforçar as capacidades nacionais e contribuir para a campanha contra os atos de violências ligados ao sexo, particularmente as violências contra as meninas e as mulheres, que são frequentes na Serra Leoa.

“Este projeto é parte integrante de uma iniciativa para a reforma do setor de segurança liderada pelas Nações Unidas e levada a cabo por diferentes países do globo”, indicou o inspetor Samurah.

De acordo com um comunicado da ONU, “a Unidade de Disciplina e Conduta em colaboração com a Gender Adviser e a Seção da Polícia das Nações Unidas do Gabinete Integrado das Nações Unidas na Serra Leoa (UNIOSIL) finalizaram os módulos de formação e a estratégia para a integração do gênero e a política de tolerância zero a respeito da exploração e abusos sexuais para a Polícia Serraleonesa”.

“A estratégia foi aceite pela Polícia Serraleonesa (SLP) em Junho de 2008, a primeira na região oeste-africana”, de acordo com a ONU.

O projeto responde a um pedido da Unidade de Apoio às Famílias da SLP a favor da formação de oficiais e pessoal da Polícia em prevenção contra a exploração sexual, os abusos sexuais e o assédio sexual.

Esta formação, financiada pelo FNUAP (o Fundo das Nações Unidas para a População) deverá reforçar as capacidades da SLP para fazer face aos incidentes ligados às agressões sexuais, à violência doméstica, às agressões físicas e outras violações contra as crianças.

Fonte: PanaPress. A Perspectiva Africana.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.