Tegucigalpa, 4 set (Prensa Latina) Uma rede de pessoas que traficam órgãos de menores e indocumentados opera no corredor entre Honduras e México, segundo um relatório conhecido hoje aqui.

O documento, entregado por autoridades mexicanas à Corte Suprema de Justiça (CSJ), precisa que no grupo criminoso estariam implicados membros fundadores da igreja Cristã Restaurada e cidadãos hondurenhos.

Esses indivíduos têm enganado a meninos e migrantes para roubar-lhes órgãos e posteriormente comercializá-los, precisa o relatório dado a conhecer pelo diário A Tribuna.

Vários menores desapareceram da entidade Casitas do Sur, localizada em cidade de México, e do Centro de Adaptação e Integração Familiar em Monterrey, Novo León e Cancún, e estima-se que muitos poderiam estar em Honduras.

A subprocuraduría geral de Extradição e Direção de Assistência Jurídica de México pediu à CSJ pesquisar a presença aqui desta rede e se tem relação com casas lares, centros de assistência social ou de beneficencia.

Segundo informou-se, os menores de idade em situação de risco são as principais vítimas destas bandas criminosas.

A diretora do Instituto Hondurenho da Criança e da Família, Suyapa Núñez, expressou sua preocupação depois da denúncia e manifestou a disposição de pesquisar a fundo o assunto.

Núñez chamou a adotar medidas enérgicas e aplicar todo o peso da lei contra as redes acostumadas a negociar com vidas humanas.

A denúncia sobre os traficantes de órgãos saiu à luz em um momento de grande comoção no país pelo assassinato em México de 72 migrantes, entre eles mais de uma dezena de hondurenhos.

ocs/car Modificado el ( sábado, 04 de septiembre de 2010 )

Fonte: http://www.prensalatina.com.br/index.php?option=com_content&task=view&id=217805&Itemid=1

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.