O governo federal lançará em agosto um site para receber denúncias de abuso sexual infantil e para rastrear crimes cibernéticos. O anúncio foi feito ontem pelo secretário especial de Direitos Humanos, Paulo Vannuchi, que participou da solenidade de lançamento do 3º Congresso Mundial de Enfrentamento à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.

O projeto é uma parceria entre a secretaria, a Polícia Federal e a Organização Internacional de Polícia Criminal (Interpol). “Vamos receber denúncias e teremos um sistema de rastreamento que vai nos permitir muito mais rapidamente acionar a Polícia Federal, o que era um dos problemas. As denúncias chegavam de várias partes, muitas vezes até duplicadas, e não nos davam a devida dimensão do problema no Brasil”, explicou a subsecretária da Criança e do Adolescente, da Secretaria Nacional de Direitos Humanos da Presidência da República, Carmem Oliveira.

Há três anos, o governo criou um serviço de discagem direta e gratuita em todos os Estados, o Disque 100, como uma ferramenta importante no combate à exploração sexual. O volume de chamadas diárias recebidas passou de 170 para 2 mil, das quais 90% se confirmam como denúncias efetivas. “Queremos reforçar o compromisso com a erradicação desse problema no País”, afirmou Paulo Vannuchi.

RECONHECIMENTO

A representante do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) no Brasil, Marie Pierre Poirier, disse que iniciativas como essa refletem a determinação do governo brasileiro em acabar com a impunidade nos casos de exploração sexual. E esse foi um dos motivos, segundo ela, para o País ser escolhido como sede do congresso mundial, que será realizado de 25 a 28 de novembro e reunirá 3 mil pessoas.

A escolha do Brasil como sede do congresso, segundo Vannuchi, demonstra o reconhecimento internacional dos avanços nas estratégias de combate ao abuso sexual no País. Sua subsecretária, porém, ressaltou que, apesar do enfoque das políticas públicas para reduzir a violência doméstica, houve um aumento nos crimes cibernéticos contra crianças.

Pela primeira vez desde que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva assumiu o cargo, a primeira-dama Marisa Letícia participou sozinha, como presidente do honra, de uma solenidade oficial. “Ajudei a trazer o evento para o Brasil. Como mãe, avó e primeira-dama, decidi participar do congresso porque quero ajudar a melhorar a situação das crianças.”

Fonte: O Estado de São Paulo

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.