Uma família vai deixar o Brasil depois de um dos seus filhos ter sido vítima de alegado tráfico de órgãos humanos.

Paulo Pavessi, acompanhado da esposa e de um filho, viajam rumo a Itália, país onde vão pedir asilo politico, um processo que será conduzido por uma organização não-governamental (ONG) italiana responsável pelo seu acolhimento.

O caso ocorreu há oito anos, em Minas Gerais, onde o filho mais novo deste casal foi parar a um hospital e, alegadamente e sem morte confirmada, lhe terão sido retirados alguns órgãos.

Um caso contado à Renascença pelo próprio pai da criança. Paulo Pavessi fala das ameaças de que tem sido alvo e não tem dúvidas em afirmar que o Governo e as autoridades do Brasil são coniventes com estas situações.

“Retiraram os órgãos ao meu filho quando ainda estava vivo. Não havia nenhum diagnóstico a comprovar a morte encefálica e os órgãos foram retirados e, posteriormente, vendidos em hospitais públicos e privados”, denuncia Paulo Pavessi.

Esta caso está a ser acompanhado pelo Movimento de Combate ao Tráfico de Órgãos Humanos do Brasil, uma ONG liderada pela religiosa brasileira que se notabilizou pela denúncia do tráfico de órgãos em Moçambique.

Ouvida pela Renascença, a Irmã Elilda dos Santos diz que quem investiga estes casos acaba por ser afastado pelo poder político e reconhece alguma impotência para denunciar estas situações à organizações internacionais ligadas aos direitos humanos.

Elilda dos Santos conta que o “caso do menino Paulinho” foi investigado pelas autoridades brasileiras e houve profissionais de saúde que chegaram a ser indiciados, no entanto, o processo não avançou e um dos médicos chegou mesmo a ser promovido e recebeu uma licença do Governo federal para “abrir uma central de transplantes na região dos Amazonas”.

O tráfico de órgãos humanos é um grande problema no Brasil, país onde desaparecem por ano cerca de 40 mil crianças, segundo as estatísticas oficiais.

Fonte: RV

 

One thought on “Tráfico de Órgãos: Família brasileira procura refúgio em Itália”

  1. Meu nome é Paulo Pavesi e acabamos de receber asilo do Governo Italiano por um período de 3 anos renováveis pelo tempo que for necessário. A OEA (Organização dos Estados Americanos) está analisando uma denúncia para possível abertura de um processo. Tráfico de Órgãos não é Lenda Urbana. Lenda Urbana é a fila de transplantes.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.